menu

Destaque Amazon

Destaques

sexta-feira, 16 de março de 2018

0 Resenha [livro] - O segredo da caveira de cristal 2, de Mallerey Cálgara


Olá, leitores!

Sejam bem-vindos a mais uma resenha de livro nacional!

Venho apresentar hoje a resenha do livro O Segredo da Caveira de Cristal parte 2, escrito pela autora Mallerey Cálgara e lançado pela nossa parceira Editora Mundo Uno.

Com'on!


Sobre o LIVRO:

O segredo da caveira de cristal - parte 2
Autora: Mallerey Cálgara
Editora: Mundo Uno
Gênero: Fantasia medieval
Ano: 2017
371 p.

Sinopse:
O ÁPICE DO PODER É O TRONO.
Há aqueles que querem protegê-lo.
Há aqueles que querem tomá-lo.
E há também aqueles que querem destruí-lo.

Após a queda de Heilland, iniciou-se um período sem leis. Um tempo onde não existia ordem, somente sangue, carne, ossos e aço. Era também um período de feitiçaria. O exército de Sulco havia avançado ferozmente pelos reinos à procura do herdeiro e das caveiras mágicas, deixando sombra e destruição em seu rastro. O Imperador Sulco, cada vez mais ambicioso e implacável, não descansaria enquanto não conquistasse todas as caveiras. Ao extrair o poder do vento de seu amuleto, Sulco cria um novo exército de soldados ágeis e fortes, denominados Interceptadores. Para lutar contra essa nova ameaça, aliados se fundem em uma força que se intitula Rebelião, fazendo despertar a esperança adormecida. Procuram resgatar o herdeiro e as caveiras das mãos do inimigo para, assim, restabelecerem a paz em Heilland e nos reinos. Uma época bastante traiçoeira... Contudo, entre os membros da Rebelião, havia alguém mais poderoso do que todas as caveiras juntas. Quando seu despertar acontecesse, o rumo de todas as vidas dependeria do seu julgamento.




*Obra cedida pela editora no formato físico para resenha referente a parceria 2016.  As opiniões são exclusivamente nossas. Não houve nenhum tipo de intervenção em nossos comentários.*


RESUMO DO LIVRO 01:

Em O segredo da caveira de cristal, soubemos que o mundo dividido era em 5 reinos. No Reino de Heilland, o Rei Alphonsus era considerado um do melhores que já governaram, por seu senso de justiça e sua bondade. Pai de gêmeos, sabia que a coroa deveria ser dada ao mais velho, porém, ao completarem 15 anos, Alphonsus decidiu coroar o príncipe Heian. Sulco, seu irmão, tomado pela inveja e ganância, aprende a usar magia de uma forma maléfica e ascende ao trono por meios vis e traiçoeiros, tornando Heilland um reino de horror. Mongho, um feiticeiro e melhor amigo de Heian, é obrigado a fugir, levando consigo segredos e pessoas importantes para o futuro do mundo.





Fantasia medieval é um gênero que não agrada a quaisquer pessoas. Mas, cara... Quando agrada, você gama!

Primeiro de tudo: para entender melhor a resenha, leia o resumo do livro 1 ali em cima. Segundo: a resenha pode conter spoilers do livro 1.

Em O segredo da caveira de cristal - parte 2, temos a continuação da peregrinação de Mongho, o jovem mago e melhor amigo do falecido rei Heian, e o destino dos 5 reinos. Sulco se consagrou rei e, de posse da caveira que controle o vento, decidiu sair um busca das demais, especialmente da caveira de cristal, que foi do pai de Mongho e que ele guarda sempre consigo.


Dividido em duas partes, na primeira o livro narra a saga de Mongho, Nadjra (na pele da gata muitíssimo especial Noha) e da criança batizada de Záyrha., que guarda um perigoso segredo e um grande poder em seu olho esquerdo. Tentando fugir do exército de Sulco, Mongho acaba atraindo diversos moradores sobreviventes das vilas estraçalhadas e dizimadas por Sulco. Decidido a ir até a floresta de Menfhis, mal sabem todos o que os aguardam pelo caminho.

Em nenhum momento de sua jornada, Mongho deixou de se preocupar e de procurar Zargus, o herdeiro de Heiland, que Sulco sequestrou.

"Se você é um mago, tem um mapa e uma mente forte para não se deixar levar pela loucura, então estamos seguros. A falta de um desses elementos durante a travessia nos levaria, na certa, para a morte."

A segunda parte do livro é marcada por uma longa passagem do tempo. Záyrha cresceu e se tornou uma moça benevolente, uma curandeira das ervas, conforme ensinamentos de Erha. Escondidos na floresta sob a guarda do poderio dos Menfhis e sua caveira de bronze, a Rebelião se erguia cada vez mais forte, mais inteligente.

Sulco, ainda tomado pela ganância do poder, continuou arrasando reinos. Imperador dos Reinos de Heiland, Drudtas e Hurgans, de posse de duas das caveiras mágicas, ele decidiu avançar sobre o reino de Vulcans, criar um exército com sua magia negra e massacrar a todos em seu caminhos. Zargus não é bem o herdeiro que Heiland precisa. Menos ainda o irmão que Záyrha gostaria de ter.


O que ninguém sabia e que se descobre depois é que Záyrha é fundamental. Ela é o pilar que molda a guerra, não apenas pelo poder que carrega, mas pelo amor que surge em seu caminho, pelo destino que a obriga e pelas escolhas que podem mudar tudo.

Gente do céu! Pensa em um livro bem moldado? SCC é lindo demais! Particularmente, gostei mais deste segundo livro do que o anterior. Acho que por ter o destino do mundo nas mãos de uma mulher ao invés de nas mãos de reis em guerra. Além disso, muito mais do que magia, o livro trata de escolhas. Destino existe mesmo? O tempo... ah, o tempo! É traiçoeiro...

"O ápice do poder é o trono. Há aqueles que querem protegê-lo. Há aqueles que querem tomá-lo. E há também aqueles que querem destruí-lo. Entre a guerra e a paz, diz-se que um povo livre irá sempre escolher a paz. Mas a próxima geração nunca teve essa escolha, embora respirassem os ares que uma falsa paz proporcionava."

A escrita da Mallerey é cadenciada, tem um ritmo próprio que faz com que você saia lendo, totalmente imerso naquele mundo, e quando percebe, o livro acabou. Para você foi um tempo muito curto, mas o seu relógio mostra que foram dias de leitura (só uns três... rsrs).

O final da história é espetacular. Não é o que se espera nem de longe, por isso mesmo, além de te dar aquela dorzinha do "poxa vida", te surpreende pela escolha da autora. Me surpreendeu muito mais porque não achei que a personagem teria tamanha força. Era uma escolha que eu própria não conseguiria decidir.


Mongho, que já foi consagrado herói no primeiro livro, só consolida sua posição. Contudo, neste volume, mais de um herói existe e cada um tem seu papel na história. Se eu falar mais dos personagens, entrego todo o ouro. O que posso dizer, com certeza, é que todos estão conectados de uma forma ou outra e de um jeito bem intrincado.

Sobre a parte física: a diagramação é segue o volume 1. Capítulos começando com números em fonte medieval, páginas amareladas, barra divisória simples, revisão ótimo, com poucos erros. A capa combina com o livro anterior, e é de uma representação quase perfeita. Descrição da capa #pracegover: com fundo preto esverdeado, representando um céu noturno, a capa possui duas imagens. A maior, em primeiro plano, é a metade direita de uma moça de mãos com dedos entrelaçados à sua frente, olhos verdes, semblante sério, cabelos e túnica vermelhos. Ao fundo, o castelo de Heiland, sombrio, com penumbras das luzes de muitas velas. O título está centralizado, tendo metade das palavras em cor dourada e a outra em branco. Uma espada substitui a letra T na palavra "cristal" e outra  forma uma empunhadura em vermelho com a letra C de "caveira" Muito bem feita a imagem.


Para encerrar, tenho que agradecer à autora por mais um livro belíssimo! Mallerey se mostrou versátil, saindo do romance histórico dramático, passando pela fantasia medieval e agora lançou um chick-lit (doida para ler, já está no meu Gasparzinho).

Agradeço também à editora Mundo Uno por, além de ter me dado oportunidade de mais 6 meses de parceria, também me permitir ter acesso a grandes histórias de autores nacionais. Até o presente momento, não tive uma única decepção, tem as melhores revisões que já encontrei e é uma das parceiras mais queridas pelos blogueiros (pelo menos por mim!)

Pessoas, leiam! O livro mereceu todas as minhas bruxinhas! Quem se amarra em leituras fantásticas com reis e rainhas, bruxas, magos, elementos de poder, guerras, reviravoltas, destinos imprevisíveis e poderes cósmicos e fenomenais, simplesmente precisa ter esse livro em casa. Pra galera que quer dar uma conferida, digo logo: vale a pena!



Sobre a AUTORA:

Nasci no interior de Minas Gerais, Carmo do Cajuru, sob o signo de Aquário. Aos quatro anos, mudei-me para Belo Horizonte, onde moro até hoje. Sou leitora voraz desde os cinco anos quando aprendi a ler com uma de minhas irmãs. Por volta dos meus nove anos, meu livro de paixão era O Pequeno Príncipe, de Antoine Saint-Exupéry, que considero ter marcado minha vida. Cursei a faculdade de psicologia e acrescentei em minha lista escritores consagrados como Dante, Sartre, Freud, dentre outros.Trabalhei na aviação alguns anos como comissária de bordo. Participo de projetos ligados a proteção de animais e mantenho em minha residência um abrigo para cães e gatos com minha filha. Sou possuidora de grande imaginação e fui incentivada por minha família a colocar no papel minhas ideias, de onde nasceram as obras de ficção Beco da Ilusão, O Segredo da Caveira de Cristal e Anjo Negro, sendo este último minha primeira publicação.

CONTATO:



OBRAS RESENHADAS:

 


E, então, leitores, gostaram? Quem já leu está de acordo com a resenha?

Curtam, comentem, compartilhem! Ajudem a divulgar a literatura do nosso país!

Boa leitura!
Até + ver!




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja legal: aumente nosso ego deixando seu comentário!
Mas, ei! Cuidado aí! Sem comentários ofensivos!
Um imenso obrigado de todos nós!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...