menu

Sorteios

sexta-feira, 14 de julho de 2017

0 Resenha [livro] - A Luz da Redenção, de M. V. Garcia

Olá, pessoas!

Lá se foi o mês de maio! Ca-ra-ca! Ano voando!

Antes que 2018 chegue e ninguém perceba, vamos aproveitar a sexta-feira com aquilo que todo mundo gosta: resenha de livro nacional!

Vem comigo saber como termina a duologia A Chama da Esperança, com a resenha da parte II: A Luz da Redenção, escrito pela autora parceira M. V. Garcia e publicado de forma independente pelo Clube de Autores.

A Luz da Redenção
A Chama da Esperança - Parte II
Autora: M. V. Garcia
Editora: Clube de Autores
Gênero: Fantasia
Ano: 2016

*Livro do acervo pessoal do/a blogueiro/a - recebido como prêmio de sorteio*

Sinopse: 
A guerra tomou rumos improváveis. Kaira está desaparecida e o Exército da Esperança precisa continuar a agir. Hawk, o antigo Capitão do 1º Esquadrão de Willford, descobre sua própria origem e sua vida não será mais a mesma. Decidido a se afastar de tudo e de todos, ele descobrirá que não é fácil fugir dos erros do passado. A conclusão desta saga nos traz novos segredos e personagens que remontam ao início da longa guerra entre Willford e a República. Para descobrir como essa guerra termina, você precisa conhecer os dois lados da história.




Assistir a desenhos não é do gosto de todos. E animes, aqueles desenhos japoneses cheios de significado? Menos ainda não é? Agora, você já pensou em ler um anime? Pois eu já li! Dois!!! XD

Antes de começar, vamos dar uma rememorada no livro 1?

Resumo do livro 1A Princesa Renegada (RESENHA): A rainha Rosaria, uma grande feiticeira do fogo está fugindo dos humanos que a caçam em meio a uma guerra contra os feiticeiros. Em seus braços, uma linda menininha. Acuada pelos Falcões Negros, um grupo de feiticeiros malignos, acaba falecendo ao prendê-los com um feitiço poderoso, usando A Chama da Esperança, um talismã. Com o sumiço dos Falcões, a guerra termina e há um acordo de "paz": os humanos ficam no reino de Willford e os feiticeiros são segregados ao país vizinho, a República Unificada dos 5 Grandes Clãs Feiticeiros, dividida em 5 cidades capitais, além dos pequenos povoados: Flameria (capital do fogo), Prime D'Acqua (capital da água), Rockaxe (capital da terra), Aluminia (capital do trovão) e em algum lugar das montanhas Val Lyra ficava a capital dos feiticeiros do ar. Então, 15 anos depois, alguma força consegue libertar os Falcões Negros de sua prisão e a guerra se reinicia exatamente no povoado de Kisha, onde mora nossa protagonista, Kaira Seres. Após a morte de seu avô, parte com amigos como emissária da paz para unificar os 5 clãs de feiticeiros, retomar Flameria, ocupada por humanos, e acabar de vez com a nova guerra. 


Neste segundo livro, antes de avançarmos na história principal, iremos conhecer o outro lado: como surgiram os Falcões Negros e o ódio que os humanos tem contra feiticeiros. Vamos conhecer a história de Hawk Kyrie, o mais jovem comandante do 1º batalhão de Willford, famoso humano caçador de feiticeiros.

"Elizia ficou a olhar Gallas. Aquele humano que salvava humanos e feiticeiros sem distinção e que salvara sua vida mesmo sabendo quem ela era. Aquela pessoa que era muito mais incrível do que aparentava ser. E, naquele momento, mesmo tendo Gallas dito que ela poderia partir e começar uma vida nova, Elizia teve a impressão de que não queria sair dali."

Isso de um 2º livro ainda parecer 1º, contando histórias de vida e introduzindo personagens, não foi ruim. Pelo contrário, gostei muito de conhecer o passado de Hawk e de sua família, saber como tudo aconteceu e desencadeou processos. Habilidade incrível em conectar tudo!

Depois de conhecermos a verdadeira história de Hawk, temos a continuidade dos eventos do livro 01. Hawk conheceu toda a história de sua família através das memórias que sua mãe, Elizia, deixou impressas na sua pedra guardiã, um broche azul muito poderoso. Ela, uma feiticeira do Trovão. Como ele. SPOILER, MARQUE PARA LER. Tudo isso com ele desacordado!

Agora, Hawk está em um povoado pequeno na fronteira fora da República. Após os cuidados que recebeu de Shan, uma senhora idosa que vivia só até abrigar a pequena Mei Mei (sem memória total por ter quebrado sua pedra guardiã), Hawk decide ficar morando ali com elas, sob identidade falsa, por ter extrema vergonha do seu passado. Essa consciência e remorso transformam Hawk de um jeito muito bacana, quase uma nova pessoa.

Até que... Kaira, nossa ilustre protagonista, o encontra. Ela, que também está no povoado e sofreu perda de memória parcial por um acidente com sua Chama da Esperança, não o reconhece e o convida para ser seu acompanhante no retorno ao país natal. É hora de recomeçar a luta e encerrar a Guerra. Mas... como será sua reação ao finalmente reconhecê-lo?

"Esquecer o passado é até fácil, só não adianta muita coisa. Mas se puder aprender com ele, aí sim terá valido a pena. Hawk não podia mudar o passado, mas estava disposto a mudar seu futuro."

A tensão aumenta, mais lutas acontecem, Kaíra tem sua memória de volta, mas algo mudou em relação a Hawk. E, enquanto terminam de captar apoio na cidade dos feiticeiros do Ar, participando de um festival muito lindo e especial, esse "algo" se aprofunda.

Agora, com todos reunidos sob um só exército, o Exército da Esperança, é hora de invadir Alzoria, sede real, e derrotar os Falcões Negros. Especialmente o líder, Nemesis, cujo maior desejo é obter a Chama da Esperança para si e nunca mais ser preso por ela. Só que ele não sabe da existência da Luz da Redenção, a pedra guardiã de Hawk. Será uma batalha lendária!

Antes de partir para minha opinião, vamos falar da edição? O livro tem diagramação bem simples, mas muito bonita e combinando com o enredo. Está até mais bonita que a edição independente do anterior. As folhas são brancas, mas a fonte está boa, então não incomoda. Margens justificadas e uma ótima revisão!

Sobre a capa, combina com o livro e com o primeiro volume, formando um lindo par duológico. Descrição #pracegover: É uma única imagem, tendo em plano central, bem destacada, o desenho em estilo anime do personagem Hawk, da cintura pra cima. Ela é um jovem soldado, de olhos azuis claros, de cabelos alourados, quase brancos, com franja larga e presos de forma displicente sobre o ombro direito. Está usando sua capa preta e armadura prata e com o broche Luz da Redenção (uma pedra azul real) que recebeu de sua mãe. Ao redor, em fundo azul relâmpagos. O título está em fontes brancas na parte inferior da capa.


Agora, sim, a minha opinião sobre o livro. Achei este livro tão empolgante quanto o volume 1, se não mais. Aqui, como a parte introdutória do mundo e das questões mágicas é um pouco menor que no anterior, ele até foi mais rápido de ler, pois cai direto na ação.

"Ser rainha estava implícito que era o que ela deveria fazer. Mas ela nunca se perguntou sobre o que de fato queria."

O romance também fica mais evidente, não só com os personagens principais, como também entre alguns secundários, mas não está em primeiro plano. Os personagens que já conhecemos amadureceram muito! As reviravoltas são boas, não temos como nos perder ao longo da história. O cuidado em passar informações foi mais evidente, a história, apesar de ainda ter muitos dados novos aos leitores, flui com calma.

O final, apesar de ser aquilo que esperávamos, não foi nem um pouco ruim ou anti-clímax. Até porque, para chegar lá, passamos por algumas pequenas surpresinhas. Na verdade, justamente por ser o que achei que seria, fechou a duologia com chave de ouro.

A história do volume 2 tem tanto fundamento, quanto a anterior, sendo completada e elucidada de forma brilhante. Em vários momentos eu deixei escapar uns "Mas não era... Aaaaaahhh! Entendi!!"

Enfim, é uma leitura muito recomendada a quem curte fantasia. Aos fãs da cultura do extremo oriente, de animes e afins, mais indicado ainda! Parabéns à autora pelo excelente trabalho!



Você sabia que todas as artes dos livros estão disponíveis em um livro para colorir? E que os livros estão sendo transformados em um anime de verdade?!

Pois é!... Todo um trabalho envolvido! Acho que vai ficar show! Só acho...!



Sobre a Autora:

M. V. Garcia é Assistente Administrativa, moradora do interior do RJ. É formada em Artes Visuais e cursa atualmente Pedagogia. Conhecida também pelo pseudônimo Hidaru, é escritora, cosplayer, desenhista freelance e fã colecionadora de livros, RPG, games, animes e mangás. Sempre gostou de escrever histórias, fanfics e textos sobre a cultura geek e pop. A Chama da Esperança é seu livro de estreia no ramo profissional.




De novo, parabéns à autora, Mayara, você mandou muito bem!

Muito lindo ver a paixão de alguém se tornar tão real!

E vocês, curtem anime? E uma literatura diferenciada? Comentem aí pra gente!

Até + ver!





Nuccia De Cicco é bióloga, Doutora em Bioquímica, escritora, poetisa, bailarina e blogueira. Carioca de paixão de Santa Teresa, é apaixonada por livros, seriados, tatuagens e lambidas caninas, além de ter uma queda saudável por cafajestes. Surda desde os 27 anos, é co-autora em nove antologias e publicou o livro “Pérolas da minha surdez”, uma obra sobre luta e força de vontade. Todas as suas facetas são mostradas no blog “As 1001 Nuccias”. Nele, a literatura impera!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja legal: aumente nosso ego deixando seu comentário!
Mas, ei! Cuidado aí! Sem comentários ofensivos!
Um imenso obrigado de todos nós!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...