menu

Sorteios

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

5 [Traça Literária] Resenha [livro] - Rua Direita, de Anderson Borges Costa!!!

Olá amores ❤

Hoje temos Resenha Nacional do Livro Rua Direita, cortesia do nosso autor parceiro Anderson Borges Costa, publicado pela Chiado Editora
!!!

Eu sou a Ingrid, autora e nova Colaboradora, autointitulada "traça".


Rua Direita

Ano: 2013 / Páginas: 160
Idioma: português
Editora: Chiado


Sinopse

O romance se passa em um dia qualquer (talvez algumas horas) na vida de um homem na rua Direita, no centro da cidade de São Paulo. Ele tem fome e busca se alimentar. Durante sua busca, o protagonista vê desfilar pela rua, de forma desordenada como a arquitetura da cidade de São Paulo, várias manifestações e aspectos da cultura brasileira, como o carnaval, o futebol e as injustiças sociais. A fome do personagem principal é uma referência à Antropofagia, de Oswald de Andrade. A narrativa está amarrada por uma cachoeira de citações e referências literárias, musicais, cinematográficas, artísticas e históricas, construindo uma espécie de teia sobre a qual se tece o enredo.




Anderson Borges Costa


Biografia

Anderson Borges Costa é coordenador do Departamento de Português da escola internacional Saint Nicholas, em Pinheiros, São Paulo, onde também atua como professor de Português e de Literatura Brasileira. É professor de Inglês no curso Cel Lep. É crítico literário e resenhista de livros para várias revistas de arte e literatura, como a Germina, onde assina a coluna "Adrenalina nas Entrelinhas". Formado e pós-graduado em Letras (Português, Inglês e Alemão) pela Universidade de São Paulo. Em setembro, lançará seu segundo livro, desta vez de contos, cujo título é “O Livro que não Escrevi” (Editora Giostri).


[Traça Literária]

Resenha



“Percebeu-se cantarolando e olhando fixamente para os ladrilhos pretos e brancos que revestiam a rua Direita, em São Paulo, onde se encontra agora, cansado e com muita fome havia já um bom tempo.”

Durante um delírio, dominado pela nostalgia, um sem-teto anônimo seguia rumo a algum lugar misterioso dentro de sua existência. Recordando o passado. Cansado de tanto caminhar. A fome e sede mostravam-se sempre presentes o importunando com a necessidade de satisfazê-las. Todavia, não tinha dinheiro e estava sem os documentos.

“Às vezes, ansiava poder pensar para ter ânsia, ansiedade e angústia. Alimentava-se de ansiedade. E isso o angustiava. Tinha fome.”

As alucinações o levavam a imaginar coisas absurdas. Como se estivesse vendo miragens. Um observador que mudava o seu mundo tornando-o mais agradável. Era como se a rua Direita tivesse se transformado em algo diferente.

“Observava o movimento das pessoas de outro ângulo. Parecia que andavam de cabeça erguida pouco se importando com o que acontecia no chão da rua, onde agora ele repousava seu corpo cansado.”


Tudo era lúdico e fantasioso. Uma fuga da mesquinha realidade. Mostrando o quanto os marginalizados sofrem diariamente, passando por necessidades e sofrendo com a terrível discriminação. As pessoas estão sempre ocupadas e preocupadas demais com suas vidas, ignorando os outros.

Um livro inusitado, escrito de forma poética e detalhista. Apesar de ser o primeiro romance do autor mostrou-se muito perspicaz. Contém citações e referências literárias. Narrado em terceira pessoa de modo realista, transporta o leitor para dentro da história.

Há uma alusão a infância, quando a tia dele costumava cantar “Se essa rua, se essa rua fosse minha, eu mandava, eu mandava ladrilhar, com pedrinhas, com pedrinhas de brilhantes, para o meu, para o meu amor passar.”


A capa é criativa e a diagramação condiz com o enredo. Sendo cada capítulo intitulado com um trecho da cantiga. Faz refletir e proporciona uma nova visão dos fatos.

Dou cinco estrelas e recomendo!!!


Neste sábado, dia 10/setembro, a partir de 16:30h em São Paulo, será o lançamento do 2º livro do Anderson: O livro que não escrevi!

O livro é composto de contos do cotidiano, como esperar um ônibus, fumar um cigarro, quaisquer atos que servem de gatilho para aprofundar questionamentos existenciais.

O estilo original com o qual o autor apresenta as histórias levou o premiado escritor Luiz Ruffato a afirmar: "Raras vezes nos deparamos com escritores prontos. Ou seja, singulares. Anderson Borges Costa é um desses."


Ingrid M. S. Nascida em 03 de outubro de 1993, é formada em Design de Moda, mora com o marido em uma cidade pequena e muito pacata no interior de Santa Catarina. Ama escrever desde criança, mas somente em 2014, resolveu publicar algo através do Wattpad.


É sonhadora, criativa, detalhista e muito teimosa, uma viciada em livros e chocolate, simplesmente apaixonada por dias frios e chuvosos. Gosta muito de 
desenhar, assistir comédias românticas e seriados. 


CONTATO: FACEBOOK -  GRUPO NO FACEBOOK - SKOOB - WATTPAD  - AMAZON

Gostou dessa postagem??? Quer mais??? Que tal deixar nos comentários suas sugestões de leitura, vou adorar...



5 comentários:

  1. Oie!
    Não conhecia o livro e apesar de ser um romance não parece muito pra mim, por isso não sei se iria curtir a leitura.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Olá!!!
    Não conhecia o autor nem a obra, pelo que li da sua resenha, este é um daqueles livros que você vai lendo e refletindo sobre sua vida e seus atos.
    Gosto bastante e livros assim.
    Parabéns pela resenha
    Beijuh

    ResponderExcluir
  4. Oi!
    Não conhecia a obra mas adorei saber a respeito. Parece ser um livro muito reflexivo e envolvente, do tipo que faz a gente rever conceitos.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Olá
    Adorei a premissa do livro.
    Parece que é uma narrativa diferente. Já anotado.
    Bjs

    ResponderExcluir

Seja legal: aumente nosso ego deixando seu comentário!
Mas, ei! Cuidado aí! Sem comentários ofensivos!
Um imenso obrigado de todos nós!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...