menu

Destaques

sexta-feira, 30 de setembro de 2016

9 Resenha [livro] - A Fada Madrinha, de Kate Williams

Oiee!



Bem, sou nova por aqui, então vou fazer uma singela apresentação para não deixar ninguém entediado. Sou Katerine Grinaldi, autora parceira da Nuccia e nos conhecemos através da Giuliana Sperandio, uma pessoinha que só traz felicidade para a vida dos outros. Se não fosse por ela não estaria aqui para falar sobre “A Fada Madrinha”, livro nacional da autora Kate Willians.
Vamos conhecer um pouco mais sobre a autora?

Kate Willians
Kate Willians é escritora e estudante de letras. Escreveu seu primeiro livro aos 15 anos e o segundo Debaixo das minhas asas, publicou aos 17. Já foi a blogueira responsável pelo Drunk Culture e hoje se dedica apenas a escrita. Tem 20 anos e o seu maior sonho, é encantar as pessoas com suas palavras. A literatura a salvou, e espera um dia conseguir usar a mesma fonte para salvar outras pessoas. É extremamente apaixonada pelo que faz e adora passar o tempo livre com a família e com um pug bagunceiro e totalmente sem noção chamado Bob.



A Fada Madrinha 

Gênero: Romance/Fantasia
Editora: Arwen
Páginas: 248
Sinopse: Uma princesa mal humorada. Um príncipe nada encantado e uma fada para lá de atrapalhada.
Isso vai terminar em casamento ou em uma grande confusão?
O sonho da fada Emily sempre foi ser responsável por um “Felizes para Sempre” e ela está disposta a tudo para realizar seu sonho.
A princesa Cate nunca quis o seu “Felizes para Sempre”, mas não está nada conformada com seu destino.
Harry não está nem aí para o “Felizes para Sempre”, só quer se livrar da chata da Cate.
Quando todos precisam trabalhar juntos para restaurar a ordem no mundo das fadas, o que era importante torna-se insignificante e grandes verdades são reveladas. Tudo com muito humor e diversão.


Resenha

Nas primeiras páginas de “A Fada Madrinha”, Kate Willians nos apresenta uma introdução importante para o desenrolar da história. Através dela já conhecemos mais sobre o mundo dos feéricos e somos ambientados em Fairyland. Posso dizer, por ser escritora também e fazer pesquisas para meus livros, que a autora realmente pesquisou para falar sobre esses seres porque notei semelhanças com estudos já feitos por mim. Gostei disso! De certo ponto nos deixa na dúvida: fadas existem mesmo?
Em seguida, vamos para o prólogo, onde descobrimos como todo o mal-entendido na vida da fadinha Emily começa.
Emily é a irmã do meio, sendo a fada que vive às sombras das irmãs Anna e Nanda. Provavelmente quem é irmão do meio vai entender o que isso significa. A fadinha não é boa o suficiente como as irmãs e possui um temperamento bem diferente do que você pode esperar de uma fada. Nada de doçura, paciência ou um ar de encantamento. Emily é como nós, seres mortais, só que com os poderes feéricos. Ela é estressada, respondona, corajosa e fala tudo que tem vontade.

Seu maior sonho é ser responsável por um “Felizes para Sempre”. As fadas madrinhas, elementais humanoides, são responsáveis por três tarefas: realizar pedidos de aniversário, ajudar os pobres e pelos finais felizes dos contos de fadas. Ser responsável pelos contos de fadas é uma tarefa e tanto e poucas conseguem ser selecionadas para a tarefa. Anna, a irmã mais velha de Emily, já conseguiu cumprir um final feliz e, por isso, é a provável escolha para o novo pedido que chega à Hector.
Hector, o oficial de pedidos da rainha, é quem escolhe as fadas para realizar suas tarefas. Hector, o ser apaixonado por Emily. Hector, o não correspondido, mas aquele que deixará a isca para a fada correr atrás dos seus sonhos. Entretanto, quem realmente ama não cobra algo em troca por ver o outro realizar seus sonhos, não é mesmo?!
Ingenuamente, sentindo que correr atrás dos sonhos vale qualquer custo, Emily conseguirá sua vaga como a fada madrinha de um conto de fadas. Eu disse conto de fadas?! Ops...
Será que podemos considerar conto de fadas a história de uma princesa rebelde e que não quer casar com um príncipe que desejaria apenas ser ele mesmo, sem as pressões da família real sobre si? Classicamente falando, não, né? Mas diria que “A Fada Madrinha” veio justamente para romper com parâmetros já estabelecidos. Digo uma coisa: talvez o conto de fadas não seja apenas aquele vivido por príncipes e princesas. Todos nós podemos ter o nosso conto de fadas. Por outro lado, por que a princesa precisa ser realmente a princesa? E por que o príncipe precisa ser o verdadeiro nobre e clichê de sempre?


Em sua jornada pela busca do final feliz dos outros, Emily percebe que aquele sonho era importante para ela, mas será que valia magoar os outros para consegui-lo? Valia magoar seus próprios sentimentos? O que a fadinha fará para reverter a situação? Será tarde demais?
Preciso dizer que Emily, Cate – a princesa que não queria ser exatamente uma princesa – e Nora, a irmã caçula da princesa fazem o leitor dar boas risadas. As situações que elas criam irresponsavelmente são divertidas e fazem parte da vida... Ninguém é perfeito o tempo todo.

Há vários casais a serem shippados na história, não vou dizer todos porque um é realmente inesperado. O principal é Emily e William. Ah, ok, você pensou que fosse a princesa Cate e o príncipe Harry, né? Peguei vocês, rs... Cate e Harry também é um dos casais para os leitores ficarem na torcida, só que eles são aquele estilo gato e rato, sabe? Na verdade, diria que nem gato e rato... Ok, eles vivem trocando farpas, porém possuem um objetivo em comum: discordância com o casal forçado entre eles.

Vou voltar já já na Emily e no William...
Dá para perceber que a família de Harry é inspirada na família real inglesa. Acho que não foi um objetivo da autora esconder isso não. Muitas semelhanças são notadas e foi algo que me agradou por trazer um pouco mais de mistura entre ficção e realidade.
Agora sim... Vamos ao casalzinho mais fofo de Fairyland. Fofo... Adjetivos são um pouco difíceis quando falamos de Emily. Ela e William são amigos desde que nasceram. O rapaz é um elfo de longos cabelos lisos e loiros e com os olhos azuis gelo mais bonitos de Fairyland, segundo a fadinha. Então, entre os dois rola aquela coisa de amizade que não é só amizade, mas como não quero revelar spoilers, vou dar algumas hipóteses: ou não têm coragem para assumir o que sentem com medo de perderem a amizade, ou não sabem que sentem algo a mais, ou de repente um sabe e outro não... São várias possibilidades, mas posso dizer que esses dois aceleraram meu coração.

O final do livro foi fantástico. E não, não me refiro a fantástico de fantasia, é fantástico de incrível, impressionante, inesperado... Você, leitor, vai ficar surpreso como a autora conseguiu esconder um verdadeiro conto de fadas com aquilo que deveria ter sido o conto de fadas. Entendam: é como iluminar a parte de um show e chamar a atenção do público para ela, quando na verdade, o verdadeiro espetáculo ocorre nos bastidores.

Kate – minha xará, bate aqui, amiga – eu amei a carta final do livro. Fiquei até arrepiada com as mensagens que você deixou para os leitores. Com certeza, sua carreira de escritora já valeu só por essas poucas páginas finais que provavelmente vão influenciar muitas pessoas por aí. Parabéns.


Pontos importantes a serem comentados:
- A capa: Linda! Marina Ávila foi a responsável e, claro, não podia deixar a desejar. Diga-me: alguma capa feita por ela é feia?
- Diagramação: Incrível. As páginas são decoradas com flores nas laterais, as fontes dos títulos dos capítulos parecem escritas à mão – como se fosse um diário, na verdade – há algumas ilustrações e detalhes especiais para matérias de jornais, já que tratamos de príncipes e princesas.

- Revisão: Bem, há alguns erros no livro, não posso mentir. Questões de vírgulas, principalmente, mas esses pontos não atrapalharam a leitura. Apenas teve uma questão, nos capítulos finais do livro, que precisa ser corrigida. O nome do Harry foi substituído por Henrique algumas vezes e isso me deixou bastante confusa. Já não sabia mais se o certo era o Harry ou o Henrique, rs. 


Espero que tenham gostado da resenha e se interessem em conhecer a história da fadinha estressada, mandona, mas com um coração bondoso. Agradeço a Nuccia pela oportunidade de compartilhar aqui minhas opiniões sobre o livro! <3
Beijos feéricos, rs.

Kate. 


Nascida e criada no Rio de Janeiro, Katerine Grinaldi já visitou lugares que não estão nos mapas convencionais. Isso graças ao seu amor pela literatura, tanto no ato de ler como no de escrever. Encantada com histórias que fazem pensar e por personagens de apaixonar, Katerine decidiu criar outros mundos para que leitores – como ela - pudessem visitar. Advogada, ela não abandona um de seus maiores prazeres: escrever. A Herdeira, seu primeiro livro, foi lançado na Bienal do Livro de 2015.
E-mail > sagaaherdeira@gmail.com
CONTATO: FACEBOOK - GRUPO NO FACEBOOK - SKOOB - WATTPAD - AMAZON

9 comentários:

  1. Olá!
    Sua resenha foi me empolgando a cada parágrafo.
    Vou ler com certeza.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Olá!!Eu adoro fadas e só de ler a sua resenha me apaixonei pela história!! Superultra contagiante!! Vou adquiri-lo com certeza!! Parabéns!! Bjos...

    ResponderExcluir
  3. Olá!!Eu adoro fadas e só de ler a sua resenha me apaixonei pela história!! Superultra contagiante!! Vou adquiri-lo com certeza!! Parabéns!! Bjos...

    ResponderExcluir
  4. Olá, quero muito ler essa obra, desde o dia que conheci, no site da editora eu fiquei encantada com a sinopse. Adorei sua resenha. Adoro histórias com seres mitológicos e mágicos, certamente iria adorar a leitura.

    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Olá! Bom, não curto muito fafas, gosto mais de bruxas. Mas, uma fada que é estressada já achei interessante! Achei a história engraçada, quem sabe ela faça eu mudar de ideia em relação as fadas? Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Oii.. Eu tenho esse livro, mas ainda não li.. Por conta da fila.. Haha
    Mas quero muito ler e sua resenha me deixou com ainda mais vontade.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oiee Katerine ^^
    Eu li um dos livros da Kate e adorei, mas ainda não consegui ler "A fada madrinha", porém, o quero muuito. Só vi coisas boas a respeito da história, e parece ser tão fofa e divertida! Estou doida para conhecer os personagens.
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  8. Olá.
    Primeiramente preciso lhe parabenizar pela resenha maravilhosa e muito bem escrita.
    Já tinha ouvido muitos comentários sobre esse livro, mas essa é a primeira resenha dele que eu leio e já fiquei encantada. Fiquei bem animada ao saber que tem muitos casais para shipparmos haahhaha, mas curiosa para saber qual é esse casal inesperado.
    Amei a premissa do livro e espero ler ele em breve, pois realmente acho que vou gostar.

    ResponderExcluir
  9. Oi!!!
    Que livro mais fofo, já estou apaixonada! Amo shippar casais e me empolguei quando vc citou que tem vários no enredo, kkkkk. Já tinha lido algumas resenhas do livro, mas nenhuma conseguiu me interessar tanto.
    Bjs!

    ResponderExcluir

Seja legal: aumente nosso ego deixando seu comentário!
Mas, ei! Cuidado aí! Sem comentários ofensivos!
Um imenso obrigado de todos nós!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...