menu

Sorteios

terça-feira, 18 de agosto de 2015

2 [Entrevista a autores] - Orfeu Brocco

Alou, pissouas!

O blog continua a todo vapor, porém, eu, a pessoa, vou ficar mais uns dias off... "Mas, de novo?"

Sim, para ir a outro Simpósio...! "Mas, de novo?"

É, bem... "a vida não para"!  E justamente porque não podemos parar que vamos jogar aqui mais uma entrevista!

O entrevistado de hoje é o autor e poeta Orfeu Brocco. Orfeu é parceiro do blog há pouco tempo, mas um amigo querido há quase um ano (caraca... tudo isso??!!). 

Mas é tão amigo, tão amigo, que até aceitou meu convite para ler e escrever o prefácio do meu livro, o "Pérolas". Juro! Confere AQUI!

Há bastante tempo no mercado literário, mas ainda com espírito iniciante, Orfeu conta para os leitores algumas curiosidades sobre suas obras, novidades e lançamentos. Vamos lá?

Como e quando surgiu a vontade de ser escritor/a? Quais foram suas primeiras publicações?
Desde criança sempre quis ser escritor, lia HQs junto com meu pai, livros de terror, a coleção Vagalume e ai fiquei com vontade de escrever estórias também. Minhas primeiras publicações foram poemas no site Sombrias Escrituras e, depois disso, duas antologias em que participei, uma delas do próprio site. Antologias quando bem organizadas e bem distribuídas são ótimos meios para começar.

Orfeu é um pseudônimo. Conte aos leitores como e por quê o escolheu.
Através de uma HQ de Neil Gaiman (autor de Sandman) chamada a Canção de Orpheus. Eu escolhi o pseudônimo (ou talvez ele me escolheu), pela maneira fascinante que a música do personagem comovia a todos; me comovi também com a história trágica do personagem, pois ainda era adolescente na época, então aquela mistura de amor, comoção e morte se encaixaram perfeitamente no que eu sentia. E se encaixam ainda hoje, visto que já tentei deixar o pseudônimo e não consegui. 

Você possui um gênero literário fixo ou preferido? Por quê?
Sim, com certeza o terror. Gosto de sentir medo, de ficar encucado com estórias assustadoras bem elaboradas; sempre tive uma queda por coisas obscuras. 

O que o levou a escrever os poemas publicados na obra “Jardins Dolorosos da Babilônia”? Qual a história por trás do livro? 
Uau, por Tutatis! Pergunta malévola, hein! Os Jardins foram cultivados durante um tempo muito triste em minha vida, uma época de desilusão, onde me sentia sem rumo. Cada poema foi feito em um momento distinto, então surgiu a ideia de um livro, guardar todos aqueles momentos ali e seguir em frente. Fiz a meta de 55 poemas, as estórias que acompanham o livro foram à parte, decidi escreve-las para contextualizar com os versos.

Seus personagens masculinos tendem a receber o nome “Humbert”. Conte mais sobre essa(s) sua(s) preferência(s):
Humbert é uma homenagem a Vladimir Nabokov, autor de Lolita (um de meus livros preferidos), acho genial o lirismo de sua narrativa no livro e como narra a obsessão de Humbert Humbert, o sombrio, controverso, romântico e irônico protagonista da estória. Sempre há homenagens no que escrevo, para amigos, artistas ou até mesmo a outros personagens. O “meu” Humbert aparece em dois livros Criações Sombrias e no Jardins Dolorosos da Babilônia como uma maneira de interligar meus trabalhos, creio que irá aparecer em mais alguns.

Além de poesias, você já publicou contos de terror e está lançando livros infantis. Como é conciliar estilos tão diferentes?
É um desafio muito prazeroso, pois cada um deles vem de uma inspiração diferente. As poesias sempre surgiram de um modo muito natural, as estórias de terror vêm de um misto de coisas, ideias, medos e sempre sou muito perfeccionista para lidar com elas, mas escrever para crianças exige algo muito bom que é tentar recobrar uma parte muito bonita de nossa vida e que só damos valor muito tarde. Sempre que vou escrever estórias para crianças, busco um pouco do menino tímido lá de Minas que subia em árvores e via tudo com inocência.

Qual foi a maior alegria e a maior decepção após o lançamento do seu primeiro livro?
Meu primeiro livro lançado foi Criações Sombrias, todo o processo de publicação foi independente, custeado com a ajuda de meu grande amigo e parceiro de escrita, Rodolfo Contardi. Depois de terminar o livro, o mais difícil mesmo é publicar. Eu já tinha mandado o livro para várias editoras, muitas responderam positivamente sobre publicar, mas cobravam uma fortuna. Uma das editoras, muito conhecida por sinal e com grande público, me pediu R$ 16.000 para faze-lo. Fiquei muito triste, até que o Rodolfo, com grande delicadeza, veio até a mim e disse: “Carai, quer saber? Vamos lançar seu livro por conta própria! Eu te ajudo!“ – Então, começamos a procurar por gráficas e descobrimos que a parte mais from hell é a impressão! Gráficas cobram valores exorbitantes, querem te obrigar a comprar uma grande quantidade impressa e a maioria dos autores não fiscaliza o trabalho para ver se tudo saiu nos conformes. Quase desistimos, até acharmos uma gráfica do Rio Grande do Sul que tinha um preço acessível. De início, decidimos imprimir 25 livros somente, criamos a Black Bird Brasil (que era pra ser um selo de publicação independente) e fizemos um evento para o lançamento num barzinho muito legal de um amigo nosso, chamado Área 51. O mais feliz foi o lançamento, que foi bem legal: pessoas se interessaram pelo livro (todos que leram gostaram muito) e amigos apoiaram bastante. A tristeza depois de tudo foi que não tivemos condições financeiras para tocar o projeto Black Bird Brasil adiante e meu livro acabou não passando da primeira edição.

Você acha que um escritor precisa/deve ler outros autores? Por quê? E quais seus autores preferidos?
Eu acredito que todo escritor é muito influenciado pelo que lê e vê. Leitura é fundamental, sempre abre novos caminhos a novas ideias e ajuda a conhecer diferentes estilos de escritas. Meus autores preferidos internacionais são: Edgar Allan Poe, Willian Peter Blatty, H.P Lovecraft, dos nacionais: Augusto dos Anjos, Cecília Meireles, Alvares de Azevedo, Pedro Bandeira, R.F. Lucchetti.

Pode descrever o mercado literário brasileiro sob o seu ponto de vista? Como está, tendências e outros aspectos?
É um mercado promissor, as pessoas estão lendo mais. Acho muito triste dizerem: “Aí, no Brasil, ninguém lê nada!”, acreditando em pesquisas tolas que desmerecem isso. As pessoas leem sim, veja quantos leitores as publicações online têm, quantas pessoas acompanham blogs, leem gibis, revistas, jornais... As pessoas leem mais do que antes, porque agora temos recursos como a internet, pode-se ler um e-book do celular e de outras plataformas. Não é o suficiente ainda, mas já é ótimo. Se o mercado não estivesse crescendo cada vez mais, não haveriam filmes sendo adaptados para livros e séries de livros fazendo sucesso. Já na parte dos autores nacionais, nota-se um crescimento que, mesmo não sendo comparável aos estrangeiros, é bem animador. O que precisamos é que as editoras prestem mais atenção aos novos autores e invistam de verdade: imagina você investir uma grana no seu livro e a empresa só faz o trabalho de gráfica, sequer divulga o livro, não cuida do autor e nem investe? O custo de impressão precisa ser barateado. Uma boa alternativa é investir nos livros feitos com papel reciclado, pois além de ajudarem a diminuir desperdício, é bem mais em conta. Eu mesmo pude testar isso no Criações Sombrias, todo mundo que comprou e soube que era de papel reciclado, adorou.

Dicas que você gostaria de compartilhar com escritores iniciantes:
Apesar de há tempos investir em meu trabalho de muitas formas, de escrever há um bom tempo e de já ter alguma experiência, ainda me considero um iniciante. O que eu poderia dizer a quem quer se dedicar a literatura é: tenha calma! Primeiramente, leia bastante, escreva seu livro, reescreva, refine seu estilo e comece por publicações na WEB, antes de sair afoito procurando editora. Sempre tem alguém querendo arrancar seu dinheiro e, se tiver sorte, ainda lucrar em cima de seu trabalho. Seja cuidadoso, crie um público, sempre há pessoas dispostas a ler, participe de antologias, entre de coração no meio literário e conheça outros autores, é ótimo e ajuda a entender este mundo fascinante melhor. Se você se dedicar, vai conseguir; uma hora, seu trabalho chamará atenção e você pode publicar por alguma boa editora. Mas, se você tem dinheiro e está disposto a investir, faça seu trabalho independente da melhor forma, pesquise os melhores preços, e não deixe de aprimorar sempre sua escrita.

E seus projetos futuros?
Bem, são tantos que até me perco. Aprendi a não querer fazer tudo sozinho, então fechei ótimas parcerias atualmente, com amigos ilustradores como a Mayra e Everson. Trabalharemos juntos com ilustrações de livros e HQs. Fiz mais parcerias com escritores que sempre ajudam dando sugestões e nos envolvendo em coisas muito bacanas. Exemplo disso é uma cientista, escritora, bruxa e mais 1001 atividades que está sempre por perto para ajudar. Dos livros, posso adiantar alguns: "Hélio & o Menino Gota" e "Ágatha, a androide" são dois infantis em processo de publicação pela Editora Miranda. Estou preparando mais um livro de poesias e há mais três livros de terror em desenvolvimento: "Terrenos Sombrios", que tem relação direta com Criações Sombrias, "O gótico brasileiro" (em homenagem a dois grandes autores) e a Máquina da Insanidade. Todos os três, garanto que serão de congelar a espinha!

Fique à vontade para compartilhar quaisquer outras informações que julgue importante dividir com os leitores e autores:
Aos amigos leitores e colegas escritores que desejarem conhecer meu trabalho, peço que curtam minha página de autor (Orfeu Brocco) no Facebook. Sempre atualizo com poemas, resenhas e outras surpresas. Tenho alguns trabalhos no site Sombrias Escrituras e em breve meu site estará no ar. Obrigado, Nuccia, pela entrevista e a quem nos acompanhou durante esta troca de ideias.

Você autoriza a publicação desta entrevista, na íntegra ou em partes, no blog “As 1001 Nuccias”? Caso positivo, por favor, manifeste-se de forma elucidativa:
Senta o pau, Nuccia, já é!

==========

Conheça mais um pouquinho da figura que é o Orfeu: 

Orfeu Brocco nasceu em Uberlândia - MG em 1988, casado, atualmente vive em São Paulo.  Como autor, suas obras lançadas até o momento são; "Criações Sombrias" (2014) e "Jardins Dolorosos da Babilônia (ou versos ácidos para meu amor, se você preferir)" também lançada em 2014, além de livros infantis a serem lançados pela Editora Miranda. Participou em duas antologias: "Noite arrepiante" da Editora Literata (organizada pelo escritor Sr. Arcano) e "Relicário de poesia maldita 33 - RPM" (organizada por Luiz Carlos Cichetto). É também colaborador do portal Sombrias Escrituras, onde contribui com poesias, traduções, contos e artigos. Atualmente, participa do Projeto Expresso Literário e desenvolve mais livros e HQs junto dos amigos.

Não lembra o que é o Expresso Literário? Acesse AQUI. Depois disso, acesse AQUI e AQUI e AQUI e mais esse AQUI. XD

Mantenha-se conectado ao autor e suas obras através das redes sociais:

 

  

==========

Sobre suas obras:

Jardins Dolorosos da Babilônia
(ou versos ácidos para meu amor, se preferir...)
Ano: 2014
Publicação Independente (Black Bird Brasil)

Sinopse oficial:
Através da prosa e poesia nesta livro escrito em 2008, Orfeu Brocco nos conta a história de um amor esquecido, onde um homem é levado a uma viagem através do espaço e tempo até a Babilônia e lá irá confrontar todas as personificações de suas dores.



Leia a RESENHA feita pelo Blog!

<< Adicione a obra no Skoob!



***

Criações Sombrias
Ano: 2014
Publicação Independente (Black Bird Brasil)

Sinopse oficial:
Um escritor viciado e decadente, um padre duvidoso de sua fé e um extravagante ocultista são unidos numa trama de tirar o fôlego, em meio a manifestações demoníacas, profanações, viagens astrais e criaturas horrendas, eles tentarão sobreviver a ameaça de algo que surgiu numa antiga casa, um mal devastador que deseja tomar a vida de toda uma cidade.




<< Adicione o livro na sua biblioteca do Skoob!




==========

Meu coração bate forte quando os coleguinhas massageiam meu ego... Quase infarto quando a massagem é carinhosa assim... Gosto muito das poesias do Orfeu, tanto que até indiquei no "Sarau 1001 Poesias", o Especial Dia dos Namorados aqui do blog.

Obrigada pela confiança, amigo! Espero poder te ajudar por muito tempo!

Deixem seus recados para o Orfeu! Se quiserem acrescentar perguntas, fiquem à vontade. O autor respondendo, eu atualizo a postagem! XD

Até + ver!






2 comentários:

  1. Olá!

    Primeira vez aqui no blog! Achei bem legal essa entrevista, foi bom conhecer um pouco sobre este autor, não conhecia seus trabalhos.

    refugiorustico.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Maria!!
      Que bom te ver por aqui! Sinta-se bem-vinda, em casa!
      Orfeu é um grande amigo e eu admiro muito o trabalho dele. Nós temos uma certa afinidade dentro e fora da área literária. Se quiser ler os livros dele, basta entrar em contato com o autor!
      Espero te ver de novo!
      bjs!!!
      Nu.

      Excluir

Seja legal: aumente nosso ego deixando seu comentário!
Mas, ei! Cuidado aí! Sem comentários ofensivos!
Um imenso obrigado de todos nós!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...